Osteoporose: Causas e prevenção

Tem como característica o aumento do risco de fraturas devido, diminuição gradual da densidade da estrutura dos ossos, os deixando frágeis e porosos.

Para compreender a doença é preciso saber que a estrutura de nossos ossos é composta por complexos minerais com cálcio. A cada dez anos em média seu esqueleto já não é o mesmo e essa renovação é devido as células osteoclastos que têm como função captar novamente as células envelhecidas e substituí-las por novas  e as células osteoblastos que produz novos ossos.

As células osteoclastos deixam cavidades nos ossos quando realizam seu processo de renovação e o as células osteoblastos são encarregadas de produzir os novos ossos nas mesmas eles utilizam de cálcio que a vitamina D ajuda a absorver. São essas as células responsáveis em reconstituir os ossos quando se há fraturas.

Ao passar dos anos, há um aumento na absorção das células obsoletas, entretanto, em contrapartida o desenvolvimento de novas células diminui, o que resulta em ossos cada vez mais porosos, diminuindo sua resistência e aumentando sua fragilidade.

O recomendado é começar uma prevenção adolescência , para que futuramente não venha ter problemas , nessa idade a massa óssea ainda está sendo construída e o esqueleto está se estabelecendo,  aos 20 anos acontece o alcance desse equilíbrio, e com o passar dos anos o processo de enfraquecimento começa e aos 40 anos se inicia a faixa de risco de osteoporose.

Em 2012 a Abrasso (Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo) divulgou que 70% das brasileiras entre 14 e 46 anos não têm a informação que a prevenção deve começar na adolescência, e acreditam que só há a necessidade  na fase adulta , o que torna tardar a prevenção.

A prevenção é baseada em alimentos que contêm vitamina D e cálcio. A vitamina D contribui para a absorção do cálcio, impactando de forma direta no fortalecimento dos ossos. A OMS (Organização Mundial da Saúde) cerca de 60% das mulheres não consumem a quantidade mínima necessária de leite para a prevenção, pois acreditam que somente um copo de leite diariamente é a quantidade necessária.

Acontece que está medida é equivocada e é muito inferior a quantidade mínima real, a realidade é que o consumo mínimo deve ser de 800 a 1200mg de cálcio, o que equivale a 4 copos de leite, considerando que há cada porção de 250ml há 268mg de cálcio, ou seja o resultado é que  nem 10% das mulheres com menos de 45 anos consomem a quantidade ideal. Alimentos que podem contribuir para a ingestão de cálcio atingir a quantidade mínima diária é o brócolis, couve, feijão, sardinha, castanha-do-pará, queijo minas, espinafre e queijo prato, todos são ricos em cálcio.

Há fatores que influenciam o aumento de chances da doença por isso deve-se atentar se você se encaixa em um deles.

Sedentarismo

Diabetes

Consumo excessivo de álcool

predisposição  familiar

Medicamentos que como base heparina e cortisona

Falta de exposição a luz solar

Doenças endócrinas, hepáticas e reumatologias

Deficiência na produção de hormônios

Esses não são os únicos fatores de risco, e deve-se sempre estar atento.

A osteoporose é uma doença sorrateira que chega sem alardes, de maneira silenciosa e só acostuma aparecer quando está avançada, geralmente em maneira de fratura espontânea de um osso que se encontra enfraquecido por estar demasiadamente poroso, o tornando incapaz de realizar quaisquer esforços independendo se são mínimos.

Entretanto pode-se iniciar uma investigação antes do caso se agravar, é necessário procurar ajuda médica, será levado em consideração, idade, altura, peso e os fatores de risco citados anteriormente.  A confirmação da doença ocorre somente após realização do teste de densitometria óssea, que geralmente tem a solicitação após os 45 anos de idade para mulheres e após os 65 anos de idade para homens.

Os ossos são analisados através de uma máquina de raio x que irá se mover sobre os ossos coletando os dados sobre a massa óssea. Como o fêmur e a coluna lombar têm maiores propensões a fraturas são vistos através de uma tela de computador durante o procedimento do exame.

O tratamento só deve ser iniciado após a identificação da causa, pois é imprescindível saber o que causou para que as fraturas possam ser evitadas e  diminuindo as dores quando estão presentes.

Existe uma grande gama de medicamentos que podem ser prescritos, eles têm uma grande variedade de classes também podem variar de, bisfosfanatos, hormônios sexuais, receptores e moderadores de estrogênio e a calcitonina de salmão.

Os remédios tem como função melhorar a resistência dos ossos para que assim a degeneração seja barrada e reconstrução incentivada.

Exercícios de impacto e uma boa alimentação contribuem para a prevenção.