Quando devo ir ao ginecologista?

Quando devo ir ao ginecologista?

Muitas meninas desconhecem o momento correto de começar a ir a ginecologista, pode parecer assustador não só para elas, mas também para os pais.

A primeira consulta com um ginecologista é muito relacionada com o início da vida sexual, o que não está correto, pois, mesmo sem uma vida sexual ativa é importante frequentar regularmente um ginecologista.

A idade não é um fator predominante, a menina deve começar a frequentar o ginecologista quando ocorrer à primeira menstruação, ou seja, a menarca.

A menarca tem propensão a acontecer aos treze anos, já que a puberdade geralmente leva três anos, e se inicia entre os 9 e os 12 anos.

O ideal é que a partir da primeira menstruação a menina comece ir ao menos uma vez ao ano ao ginecologista, e mantenha essa frequência na vida adulta, essa consulta é importante para a orientação da utilização de métodos contraceptivos, e para prevenir doenças sexualmente transmissíveis.

É importante que essa primeira consulta ocorra antes da primeira relação sexual da menina para que a mesma possa ser orientada da melhor maneira, e também é importante que ela retorne após essa primeira consulta, para que haja um acompanhamento regular a partir dessa ocasião.

Quando devo ir ao ginecologista?

O que será avaliado na consulta antes da primeira relação sexual?

Quando ainda não houve a primeira menstruação, são avaliados somente os seios, abdômen, a parte externa da região pélvica e através do toque vaginal o útero, para identificar se não há irregularidades nessas regiões ou caroços que possam indicar algo.

Outra situação em que se é indicado para procurar um ginecologista pela primeira vez, é quando a primeira menstruação demora a ocorrer.

E quando já ocorreu a primeira relação sexual?

Após esse momento torna-se essencial a mudança na avaliação, e deve-se se tornar rotineiro os exames preventivos e de detecção de DSTs ( Doenças Sexualmente transmissíveis). Essa consulta também é importante para falar sobre corrimentos e outros problemas que podem vir a surgir.

As dúvidas sobre métodos contraceptivos e o uso de anticoncepcionais também podem ser sanadas durante essa consulta.

E quando mulheres adultas devem procurar o ginecologista?

Como dito anteriormente o recomendado é frequentar o ginecologista ao menos uma vez ao ano, essa consulta regular tem como função identificar precocemente alguma alteração que venha ocorrer no útero. Isso é possível através de exames preventivos como o papanicolau que pode ajudar tratar corretamente essas alterações quando identificadas para que futuramente não surja um câncer.

Não somente isso, essa consulta também pode identificar DSTs, e também realizar uma ecografia que avalia a gravidez.

O corrimento amarelo ou com mau cheiro podem ser sinais de alguma infecção, eles podem ser decorrentes de uma gonorreia, clamídia, vaginose ou tricomoníase, a dor ao urinar e a coceira na vagina também são fortes indicadores de infecção.

Outra situação que deve ser avaliada por um ginecologista é quando a menstruação está atrasada por mais de dois meses e o resultado dos testes de gravidez que são encontrados em farmácias estão dando negativo, esse atraso pode significar problemas com seu aparelho reprodutor, um exemplo dos possíveis problemas é o ovário policístico e outro motivo possível é a endometriose que se desenvolve devido ao mau funcionamento da tireoide.

Essa instabilidade também pode ocorrer quando o uso do anticoncepcional é interrompido, ou quando há uma mudança do mesmo.

Se você sente dor ao urinar é importante procurar um profissional. Esse é um dos principais sintomas de uma infecção urinaria, e também pode deixar sua urina turva, aumentar a frequência a qual você precisa urinar e pode causar dor no abdômen.

A infecção geralmente é tratada com o uso de antibióticos os quais o médico irá indicar os mais apropriados para sua situação. 

Dispareunia (dor durante a relação sexual) pode ter ligação com a diminuição da libido ou com a falta de lubrificação da vagina, essas causas podem acontecer por conta de altos níveis de estresse ou o efeito colateral do uso de algum medicamento.

A dor também pode ser por conta da existência de vaginismo e infecções, sendo também frequente durante a menopausa e no período pós-parto, essas dores podem ser amenizadas ou eliminadas com o uso de antibióticos, lubrificantes e a realização de alguns exercícios físicos específicos.

É fundamental para a mulher ter esse contato com o ginecologista, pois, ele é um dos profissionais mais importantes para cuidar da saúde da mulher, e para que a consulta realmente seja benéfica você deve tirar todas as suas dúvidas mesmo quando houver timidez.